quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Domingo no Parque

E o ano de 2017 já vai começar com muita agitação teatral com a Cia. Teatral Oops!.., que realiza já no mês de janeiro e fevereiro o projeto cultural Domingo no Parque, que tem o Apoio institucional da Lei Municipal de Incentivo á Cultura da Prefeitura de Goiânia. O projeto tem como objetivo a ocupação artística dos principais parques de Goiânia, criando uma programação teatral gratuita aos domingos em espaços de convivência coletiva da cidade, permitindo acessibilidade cultural para diversas camadas da sociedade.

Serão realizadas três apresentações gratuitas das peças Desamor, Mateus e Mateusa e Arruda com Alecrim, nos três principais parques de Goiânia. No dia 22 de janeiro (domingo), às 10h, será realizada a apresentação do premiado espetáculo Desamor, no Parque Areião. No outro domingo, dia 29/01, é a vez da comédia Mateus e Mateusa roubar a cena no Parque Flamboyant, às 17h. E finalizando o projeto, no primeiro domingo de fevereiro (Dia 05/02) acontecerá a apresentação da peça Arruda com Alecrim, às 10h, no Bosque dos Buritis. Todas as apresentações são gratuitas e abertas ao público em geral; então venha se divertir e começar o novo ano com muito Teatro nos belos cartões postais da cidade de Goiânia.

Sinopses

Desamor

Desamor narra a história do jovem Cândido, que se apaixona a primeira vista pela exuberante Anita, que nutre sentimento recíproco por seu amado. Porém o amor não deixa sobreviventes, e Anita vê-se impelida a abandoná-lo, em busca de conhecer a si mesma e ao mundo, e Cândido nada faz para impedir a partida de sua amada. Daí então seu coração e sua existência torna-se um vazio tão imenso quanto um deserto, seco e árido, sem sentido. É assim que Cândido resolve partir em busca de sua amada, em uma jornada que o levará a um mundo desconhecido, habitado por seres fantásticos.

Mateus e Mateusa

Mateus e Mateusa coloca em cena um divertido casal idoso que, após 50 anos de união, vivem em pé de guerra. Cansados um do outro, acusam-se mutuamente de abandono. De um modo quase farsesco, a peça aborda em cena a convivência familiar, suas relações, o consumismo e a futilidade.

Pais de duas jovens (Odara e Odessa) que vivem disputando entre si a atenção do velho e rico pai, o casal octogenário Mateus e Mateusa são vitrines da passagem do tempo e da vida. A semelhança dos nomes das personagens sugere que, Mateus e Mateusa / Odara e Odessa, são apenas faces de uma mesma moeda; esta semelhança nos leva a percepção bruta do destino humano irremediável, absurdo e cômico de que na verdade somos aquilo que mais odiamos.

Arruda com Alecrim

A peça tem como cenário, uma pequena cidade do interior de Goiás e narra a história de duas famílias que, separadas pelo poder e a pobreza, unem-se através do amor proibido de seus filhos. Mariquinha, a menina princesa, e Zezinho, o filho do sapateiro, vivem história semelhante ao clássico amor de Romeu e Julieta. No decorrer da história, vamos conhecendo os personagens, que foram inspirados nos arquétipos do regionalismo goiano, como o ”caipira”, o “coronel”, as “comadres”, entre outros. Percebe-se a “goianidade” através dos sotaques brejeiro e sertanejo, nas modas de viola, no fole da sanfona e nos elementos da cultura popular.


Serviço
Projeto Domingo No Parque
Dia 22/01 (Domingo), às 10h - Desamor (Parque Areião)
Dia 29/01 (Domingo), às 17h - Mateus e Mateusa (Parque Flamboyant)
Dia 05/02 (Domingo), às 10h - Arruda com Alecrim (Bosque dos Buritis)
Todas as apresentações possuem entrada franca e são abertas ao público de todas as idades.
Info: (62) 4141 - 0500 / 98408-7294

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Oops!.. no SESC Aldeia Rosa Bororo em Rondonópolis-MT

Neste mês de Outubro, a Oops!.. embarca mais uma vez rumo a um importante festival de Artes Cênicas nacional: o SESC Aldeia Rosa Bororo, em Rondonópolis-MT, um evento que conta com uma programação que acontece durante todo o mês de outubro com espetáculos de diversas regiões do país, além de oficinas, workshops e debates. A Oops!.. apresentará suas ultimas duas montagens: a tragicomédia Arruda com Alecrim no dia 20/10 (Quinta) e o suspense Gato Preto no dia 22/10 (Sábado).


Arruda Com Alecrim

“Houve um homem no mundo, homem de grande riqueza. Bem perto dele morava um pobre de natureza. Tanto tinha um de rico quanto o outro de pobreza”. Duas famílias, separadas pelo poder e pela pobreza, unem-se, por meio do amor proibido de seus filhos: Mariquinha, a menina princesa, e Zezinho, o filho do sapateiro, os quais vivem história semelhante ao clássico amor de Romeu e Julieta. Nesse caso, o amor desencontra-se justamente na diferença financeira.

“Arruda com Alecrim” proporciona o encontro da Cia. Teatral Oops!.. com o regionalismo goiano. Um encontro que nos revela e nos humaniza, pois é um encontro com os nossos antepassados, nossos semelhantes, nossos costumes, nosso chão, nossa música, nosso falar. Um encontro com nossa forma primitiva e original: pura, brejeira e goiana. No decorrer da história, vamos conhecendo as personagens, que foram inspiradas nos arquétipos do regionalismo goiano, como o “caipira”, o “coronel” e as “comadres”, entre outros. Percebe-se a “goianidade” por meio dos sotaques brejeiro e sertanejo, nas modas de viola, no fole da sanfona e nos elementos da cultura popular. Toda a trilha do espetáculo é executada ao vivo pelos atores em cena.

Gato Preto

Annabela é uma mulher de natureza extremamente sensível e delicada, esposa exemplar e especialmente afeiçoada aos animais. Contudo, torna-se uma pessoa irritável, sombria e apática, sem muita simpatia por animais ou pelo próprio marido, frente a um repentino horror desencadeado por sucessivos acontecimentos que a fazem crer que o seu gato, chamado Plutão, possui algo de sobrenatural, uma certa maldição do Gato Preto.

Adaptação do conto “O Gato Preto”, do escritor norte-americano Edgar Allan Poe, a montagem é a segunda parte da “Trilogia Poe” (iniciada em 2010, com a estreia da peça “Olho”), que tem como proposta reunir elementos fundamentais da obra poeana, como a erudição, a loucura, a consciência de si mesmo e o horror, estando os três últimos presentes na personagem central de “O Gato Preto”, a qual assombra seus convivas, humanos e não humanos, e é, ao mesmo tempo, assombrada pelas atormentações de sua mente perturbada e genial, em uma representação densa e egoista.

Serviço

SESC Aldeia Rosa Bororo (Rondonópolis-MT)

Dia 20 (Quinta)
Espetáculo: ARRUDA COM ALECRIM
Local: SESC Rondonópolis - MT
Horário: 20h
Entrada Franca

Dia 22 (Sábado)
Espetáculo: GATO PRETO
Local: SESC Rondonóplis - MT
Horário: 20h
Entrada Franca